⭐⭐⭐ Muito Obrigado, Pelé 🤴🏿

PATROCINADO POR

⭐⭐⭐ Muito Obrigado, Pelé 🤴🏿

⚽️ Edson Arantes do Nascimento era um homem comum, mas quando vestia a 10 do Santos e da Seleção, se transformava no Pelé, o Rei do Futebol e não tinha para ninguém

♾️ infinito

Pelé não morreu. Só parou de brilhar nos campos e foi ser estrela nos gramados do céu 👼🏿.


🔟 A última partida de Pelé

A partida mais linda da história do futebol terminou no dia 29 de dezembro, às 15h27, no Albert Einstein, em São Paulo. Edson Arantes do Nascimento, o Rei Pelé, deixou os gramados da vida para jogar uma pelada com seus amigos, dos quais sentia muita saudade e que agora acertará algumas contas após tanto tempo.

O aclamado Jogador do Século estava internado desde o dia 29 de novembro, por conta de uma infecção respiratória após ter contraído Covid-19 e de uma reavaliação do seu tratamento do câncer de colorretal, na qual foi detectado que a quimioterapia não estava respondendo mais, bem como o avanço do tumor para outras regiões do corpo.

Desde então, os cuidados foram paliativos para não afetar mais o coração, os pulmões e o único rim do Rei, já que havia tirado o outro órgão, quando ainda era jogador, pelas excessivas pancadas na região. Mas, infelizmente, ontem, não houve mais acréscimos. Pelé resolveu ir aos vestiários e descansar em paz após tanto trabalho.


🤴🏿O Rei, o homem e a lenda

📸Twitter/Reprodução

Não há palavras ou números que mensurem o tamanho de Pelé no Brasil e no Mundo. 

Infelizmente, as gerações mais novas não acompanharam ou tiveram a oportunidade de vê-lo numa partida de futebol. Afinal, os feitos do lendário camisa 10 já ficaram nos retratos em preto e branco, nas histórias contadas de avô para neto, ou mesmo nos icônicos vídeos dos jogos do Brasil de quando se sagrou campeão do mundo em 1958, 1962 e em 1970.

Fato é que independentemente disso, apesar da distância e de todo o desleixo que o Brasil tem tido com a história, o mundo inteiro e o próprio país, após a notícia da confirmação da morte do ídolo, fizeram questão de resgatar na memória o que significa Pelé na história do futebol e da humanidade

Pelé foi e ainda é incomparável. 

Único jogador de futebol a conquistar três Copas do Mundo. Fez 1282 gols em 1364 jogos (entre oficiais e amistosos), destes, 1116 foram pelo Santos, marcando 1091 gols, com uma média impressionante de 0,92 gols por jogo. Além disso, foram ao todo 60 títulos conquistados na carreira do jogador. Mesmo assim, números como estes ainda não traduzem por completo o lendário jogador brasileiro.

Pelé é tão grandioso que virou adjetivo, sinônimo de qualidade exímia. Pelé é tão extraordinário que até os seus não-gols entraram para a história. 

🏀 Você certamente não achará alguém se referindo a outro como o Michael Jordan do Futebol, mas sim, Michael Jordan como o Pelé do Basquete. Quantas vezes já ouviu comparações como esta?

🕊️ Decerto, Pelé o primeiro grande ídolo mundial, capaz de parar uma guerra ou até mesmo um dia de trabalho para que as pessoas presentes no estádio pudessem, assim, contemplar algo extraordinário, irreal, sublime, fantástico. 

Antes de Pelé, o futebol era apenas uma competição violenta de 11 contra 11, a camisa 10 era somente um número e o Brasil era um país distante do Mundo. Depois de Pelé, o futebol virou espetáculo, magia, inspiração para qualquer criança no mundo fazer parte dele com alegria, a camisa 10 virou objeto de adoração e o Brasil constrói uma imagem positiva do seu povo e futebol.

Portanto, se você é fanático por este esporte, agradeça ao Rei do Futebol.


⚽ De Minas para Bauru

Pelé nasceu na pequena cidade de Três Corações, em Minas Gerais, no dia 23 de outubro de 1940. Filho de Dondinho, que também era jogador, e de Dona Celeste Arantes, que completou 100 anos em novembro, foi batizado com o nome Edson em homenagem do pai ao inventor da Lâmpada, o americano Thomas Edison, de quem Seu Dondinho era fã.

Desde cedo, seu Dondinho, já sabia que seu filho primogênito já teria um futuro iluminado. Mesmo assim, o começo foi difícil. A infância pobre não tirou o sorriso do menino e a vontade de ser jogador de futebol, que tinha que ajudar a família fazendo bicos como engraxate nas ruas de Bauru, São Paulo.

O apelido Pelé veio por acaso, pois Edson era tratado como “Dico” pelos familiares. No entanto, o famoso nome só veio a ser chamado quando um colega de escola se referiu a Edson assim, por conta do admirado goleiro Bilé, do Vasco de São Lourenço, time onde o pai de Pelé jogou por um tempo. Quando o menino Edson fazia alguma defesa, dizia Pilé e por isso o apelido pegou, ainda que a contragosto do Rei.

Nesse ínterim, houve a copa de 1950, quando o Brasil sediou a copa e ocorreu, infelizmente, a derrota para o Uruguai na final. Dico viu seu pai chorando muito e para consolá-lo, prometeu-lhe que ganharia um mundial para apagar essa tristeza do pai.

Mal sabia ele que a promessa se completaria bem rapidamente.


🌟 De Bauru para Santos e começo extraordinário na Seleção

Em Bauru, o menino Pelé já chamava a atenção pelo belo futebol e desenvoltura mesmo com pouca idade. Os dirigentes do Bauru Atlético Clube gostaram e convidaram o garoto para jogar por lá para jogar profissionalmente

O sucesso foi imediato e foi tamanho que chamou a atenção de clubes de cidades maiores. Dondinho por ter sofrido muitas lesões, acabou encerrando cedo a carreira de jogador, fazendo a Dona Celeste ficar receosa com uma possível carreira do filho, o que acabou sendo inevitável. Tanto que seu técnico no Bauru, Waldemar de Brito, o convencera, além da família toda, a se mudar para Santos para fazer um teste.

Após impressionar Luiz Alonso Pérez, técnico do Santos FC em 1956, o garoto de 15 anos de idade assinou contrato em junho daquele ano. No dia 7 de setembro estreou profissionalmente, fazendo um gol na goleada do Santos sobre o Corinthians de Santo André por 7 a 1.

A partir daí só foi sucesso. Em 1957, mesmo reserva, foi o artilheiro do Peixe, com 57 gols. No ano seguinte, já titular consolidado, conquistaria o Campeonato Paulista de 1958, o que lhe deixaria mais perto ainda da convocação para a Copa do Mundo daquele ano. Não deu outra, Pelé, com 17 anos, foi com passagem comprada para a Suécia.

📸 Pelé/Divulgação

Sua estreia na Copa foi na terceira partida da fase de grupos, Pelé entrou contra a URSS, que foi vencida por 2 a 0. Mas, o primeiro gol saiu na partida seguinte, contra País de Gales, na vitória por 1 a 0. A partir daí, o mundo se deslumbrou e se permitiu também ser brasileiro.

Nas semi, Pelé se torna o jogador mais jovem a marcar 3 gols numa partida da copa, na goleada sobre a França por 5 a 2. E na finalíssima contra os donos da casa, o Brasil venceu de virada a Suécia pelo mesmo placar, contando ainda com um dos gols mais lembrados e reverenciados na história da competição. Assim, Pelé se torna o jogador mais jovem a ganhar a copa.


🏆🏆🏆🏆🏆🏆 Anos de glória no Santos

📸 Iker Casillas/Divulgação

Após a Copa de 1958, Pelé já havia ganhado um status ainda maior: o de estrela mundial. Com isso, o Santos passou pela maior fase de sua história esportiva, virando o time a ser batido no país e no mundo.

Assim, o Peixe, de 1958 até 1974, quando Pelé deixa o clube, vence a maioria dos torneios importantes, dentre os quais:

🏆 10 campeonatos paulistas (1958, 1960, 1961,1962,1963,1964,1965, 1967, 1968, 1969 e 1973);

🏆 6 campeonatos brasileiros (1961,1962,1963,1964,1965 e 1968);

🏆 2 Taças Libertadores da América (1961 e 1962);

🏆 2 Mundiais (1961 e 1962);

🏆 1 Recopa Sul-Americana (1968);

🏆 4 Torneios Rio-São Paulo (1959, 1963, 1964 e 1966).

Isso sem contar a imensa quantidade de excursões que o Santos fez para fora do país por conta do quanto o seu lendário camisa 10 causava (e ainda causa) nas pessoas. Em um deles, o Santos, numa excursão ao Congo Belga, no início de 1969, a presença do Rei do Futebol fez com que paralizasse, ao menos naquele dia, uma guerra civil para que fosse possível ver Pelé jogar.

Em novembro daquele ano, o Rei chegaria ao histórico milésimo gol na carreira. Em jogo contra o Vasco, no Maracanã, Pelé marcou de pênalti o tento de número mil e quem disse que o jogo continuou? Foi mais um momento emocionante na carreira.


⭐⭐⭐ Estrelato na Copa de 70 e últimos anos como jogador

No Santos tudo estava ótimo, mas pela seleção, ao menos, individualmente, a carreira não estava como o esperado. Se em 1958, Pelé foi o craque da copa, em 1962 e em 1966 devido a lesões, após tanto ser caçado em campo por alguns jogadores, já que na época só havia uma substituição e não existiam os cartões amarelos e vermelhos.

Em 62, Garrincha comandou o Bi, mas em 1966, o Brasil não fez uma grande Copa e foi eliminado ainda na fase de grupos. Conforme mostrou o documentário Pelé, da Netflix, o Mundial na Inglaterra poderia ter sido o último na carreira, porém, em 1970 o craque estava mais uma vez pronto para defender a amarelinha.

Diferentemente das outras duas copas, o Rei mostrou que ainda era o mesmo mago da bola. Comandou o Brasil assim como outras estrelas: Tostão, Jairzinho, Piazza, Clodoaldo, Rivellino, Gérson e muitos outros. Foram 6 jogos e 6 vitórias. Na final, um jogo inesquecível contra a Itália. 4 a 1 com o primeiro gol do Rei, um antológico gol de cabeça e uma assistência inesquecível para Carlos Alberto Silva marcar o quarto.

Pelé terminou sua passagem pela seleção em 1971, em jogo contra a Iugoslávia, no Maracanã. Anos mais tarde, após a saída do Santos, em 1974, Pelé foi embaixador do futebol nos Estados Unidos, jogando pelo New York Cosmos até a sua aposentadoria em 1977, mesmo ano em que ganhou o seu último título: a Liga de Futebol Norte Americano.


⏱️ acréscimos

😭 Emocionante  Payet se comove em homenagem a Pelé antes de jogo da Ligue 1.

⬛⚽ Veja reação dos jogadores pelo mundo  Jogadores prestam homenagens ao Rei do Futebol, morto nesta quinta-feira.

📰 Imprensa internacional reverencia o Rei do Futebol Veja as capas principais dos jornais sobre a morte de Pelé.

⬛⚽ Mais homenagens  Clubes se manifestam sobre a morte de Pelé.

👑 De Rainha para o Rei Rainha Marta chora pela morte de Pelé.


🏁 até segunda

Não importa se é final ou meio de semana, se é segunda ou domingo, se o campo é de terra batida ou se o gramado da realeza é verde. Aqui no OLÉ FC, respiramos futebol e você está convidadíssimo para saber o que está rolando de mais interessante no planeta bola.

Se gostou deste email, mande para aquele seu parça de pelada que não perde um jogo por nada nesta vida. Ah e sempre que tiver uma sugestão, pode mandar para a gente incluir, tudo bem?

Somos pontuais e chegamos a sua carta de entrada por volta das 11:11 das segundas, quartas e sextas. Caso o nosso conteúdo tenha dado aquele famoso drible da vaca, confira na sua caixa de spam e/ou promoções sempre que não nos encontrar na caixa de entrada.


Publicado originalmente em https://br.ole.football em 30 de Dezembro, 2022.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.

Todos os dias, às 11:11 no seu email

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.

Todos os dias, às 11:11 no seu email

🔵 City está a um passo do octa

Os Citizens nunca haviam vencido o Tottenham no seu novo estádio. Mas tudo tem uma primeira vez, o time de Guardiola venceu e está a um passo do paraíso inglês.

Segundas e quartas,
às 11:11 no seu email

Times Nacionais

Times Internacionais

OLÉ FC